23/03/2020

Campanha de vacinação contra gripe

Editado às 15h55 de 24/03/2020

Nesta quarta-feira, 25 de março, começa a vacinação contra a gripe (influenza) em idosos acima de 60 anos nas farmácias das redes Agafarma, Panvel e São João. Confira aqui a lista com o endereços para imunização. Clique aqui para acessar o mapa

Neste momento de epidemia do novo coronavírus, é importante que a população dentro do
grupo de risco se imunize: quanto mais gente se imunizar contra a influenza, menos gente
necessitará de hospitalização devido a complicações deste vírus, permitindo que o sistema de
saúde concentre esforços no combate ao coronavírus.

Uma vez que os sintomas da gripe (causada pelo vírus influenza) e da covid-19 (causada pelo
novo coronavírus) são muito semelhantes, a vacinação também facilita a diferenciação entre
as duas doenças. Se um indivíduo tomou a vacina contra a gripe e apresenta sintomas de
tosse, febre e falta de ar, é pequena a chance de o vírus influenza ser o causador.

Além disso, a vacinação minimiza a chance de coinfecção, isto é, a chance de um indivíduo ser
infectado pelos dois vírus ao mesmo tempo.

Conforme dados do Ministério da Saúde, a cobertura vacinal contra a influenza em Porto
Alegre no ano 2000 era de apenas 59,6% entre os idosos. Até 2013, quando ultrapassou pela
primeira vez mais de 90% de idosos, a cobertura vacinal oscilou na faixa entre 63% e 84%. Em
2016 e 2017, a cobertura atingiu quase a totalidade de idosos do município. Observamos em
2018 uma queda neste número, que voltou a alcançar um número acima de 95% em 2019.



Idosos: um grupo de risco

A taxa de mortalidade representa a probabilidade de um indivíduo morrer por causa do vírus. Essa probabilidade varia conforme a faixa etária dos indivíduos. O gráfico abaixo indica o risco de morte para uma pessoa em determinada faixa etária em caso de infecção pelo vírus.



Como é possível observar, o risco aumenta com a idade. Enquanto crianças, jovens e  adultos até 49 anos possuem uma taxa de mortalidade inferior a 1% e adultos de 50 a 59 anos,  uma taxa de mortalidade de 1,3%, as taxas de mortalidade para a população idosa (60 anos ou mais) vão de 3,6% para idosos entre 60 e 69 anos, 8,0% para idosos entre 70 e 79 anos e 14,8% para idosos acima dos 80 anos.

O fato de a população idosa consistir em um dos grupos de risco do coronavírus gera uma
preocupação para Porto Alegre, uma vez que é a segunda capital brasileira com maior
proporção de idosos em sua população.

Segundo os dados da PNAD-Contínua, pesquisa amostral realizada trimestralmente pelo IBGE, Porto Alegre possui mais de 330 mil idosos, o que representa 22,3% da sua população. Apenas Rio de Janeiro apresenta proporção maior entre as capitais brasileiras, 22,7%.

Caso você tenha interesse em saber mais sobre os idosos em Porto Alegre, acesse nossa revista Observando: As condições Sociais da População Idosa de Porto Alegre neste link. A próxima edição está em fase final de produção e sairá nos próximos meses.

Como apresentado na seção anterior, entre os 22 casos confirmados em Porto Alegre, 7 (31,8%) são de pessoas idosas, sendo 5 de pessoas entre 60 e 69 anos, 2 entre 70 e 79 e nenhuma acima dos 80.





Para os outros públicos prioritários, a vacinação está disponível em determinados períodos em qualquer unidade de saúde. Pessoas que não estão nos grupos prioritários devem procurar clínicas particulares. Idosos e demais públicos da campanha com sintomas gripais devem ser vacinados após a melhora do quadro clínico.

  

Contato

Rua Uruguai, 155 / 11º andar - Sala ObservaPOA
Porto Alegre-RS/Brasil - CEP 90010-140
Fone: 55 51 3289-6664 e 55 51 3289-6684
e-mail: observapoa@observapoa.com.br

Newsletter




Desenvolvimento procempa
Prefeitura de Porto Alegre
Prêmio Cidades Sustentáveis