28/03/2018

Saneamento Básico em Porto Alegre e no Mundo

O Brasil já vivenciou um grande avanço no saneamento, mas ainda está atrasado assim como boa parte do planeta, mais de 890 milhões de pessoas ainda defecam ao ar livre. A falta destes serviços básicos traz prejuízos à qualidade de vida da população, principalmente para a universalização do saneamento.
 
O saneamento é o conjunto de medidas que preserva ou modifica as condições do meio ambiente com o propósito de prevenir doenças, promover a saúde, melhorar a qualidade de vida, a produtividade das pessoas e facilitar a atividade econômica. No Brasil, o saneamento básico é um direito assegurado pela constituição. Tê-lo é essencial para um país a ser chamado de país desenvolvido. Os serviços de água tratada, coleta e tratamento dos esgotos levam à melhoria da qualidade de vida das pessoas. 
 
Apenas 22% da população da América Latina e do Caribe tem acesso a serviços de saneamento básico, é o que diz o relatório de monitoramento global da Organização das Nações Unidas (ONU) para o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) número 6, que prevê assegurar a disponibilidade e a gestão sustentável da água e saneamento para todos ate 2030. O rascunho deste relatório foi mostrado durante o Fórum Mundial da Água, que aconteceu dia 23/03, o relatório completo será publicado durante o fórum político de alto nível, que acontecerá na sede das Nações Unidas em Nova Iorque, de 9 e 18 de julho. 
 
O documento objetiva fornecer dados para embasar as políticas públicas dos países em água e saneamento, com o levantamento chegaram aos resultados de que 68% da população tem acesso ao saneamento, sendo 39% a saneamento seguro e 29% a saneamento básico. Mostra também que a cobertura básica de saneamento está piorando em 20 países, enquanto o progresso para a universalização do saneamento até 2030 está lenta demais em 89 nações. Apenas 14 países estão no caminho de atingir a cobertura universal de saneamento nos próximos 12 anos. 
 
Em Porto Alegre o saneamento básico é garantido por lei e é uma meta para ser alcançada até 2035, pois o sistema de tratamento de esgoto é insuficiente por não atender toda a população. As justificativas para isso é que não existe verba suficiente, e não é possível construir ou ampliar as Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) em tão pouco tempo. A ETE atende 192 mil habitantes, recebendo 444 mil litros de esgoto por segundo. Mesmo com todas as circunstâncias, Porto Alegre tem avançado significativamente no processo de universalização do tratamento de esgoto, tratando atualmente cerce de 66,6% do que é coletado.

Mais dados sobre Saneamento Básico de Porto Alegre podem ser verificados nos três volumes do Plano Municipal de Saneamento aqui do Observa: 

- Plano Municipal de Saneamento - 2015 - Volume I - Diagnóstico.
- Plano Municipal de Saneamento - 2015 - Volume II - Prognóstico, Objetivos e Metas.
- Plano Municipal de Saneamento - 2015 - Volume III - Programas, Participação Social e Indicadores.


  

Contato

Rua Uruguai, 155 / 11º andar - Sala 20
Porto Alegre-RS/Brasil - CEP 90010-140
Fone: 55 51 3289-6664 e 55 51 3289-6684
e-mail: observapoa@observapoa.com.br

Newsletter




Desenvolvimento procempa
Prefeitura de Porto Alegre
Prêmio Cidades Sustentáveis